Home / Dicas / Segurança Sem Fronteiras

Segurança Sem Fronteiras

Com a evolução dos negócios, é comum nos dias de hoje que as empresas tenham relações comerciais internacionais. E quando uma empresa envia um funcionário para representá-la, ela precisa fornecer à ele um seguro viagem internacional executivo protegendo-o de imprevistos futuros.

No artigo abaixo mostraremos a importância do seguro viagem para a sua empresa.

seguro viagem internacional executivo

Ainda existem empresas que acreditam que o seguro viagem não importante nas viagens internacionais executivas. Mas elas esquecem que possuem responsabilidade legal em dar segurança aos seus funcionários. Dessa forma, mesmo que a viagem seja feita no próprio país, o seguro deve ser contratado.

Em relação as viagens feitas no exterior, é preciso ressaltar que alguns países obrigam a contratação do seguro viagem.

  • Tratado de Schengen:

É um tratado feito por vários países do continente europeu, que obriga a contratação de um seguro viagem para a entrada de turistas.

Ele delimita o chamado “Espaço Schengen” dentro da Europa, sua criação tinha o objetivo de facilitar a livre circulação dos europeus entre os países ligados.

Foi a partir de 2012, que as leis impostas pelo tratado puderam beneficiar os brasileiros, pois foi retirada a necessidade de visto obrigatório para as pessoas que forem visitar os países acordados por um período de até 3 meses.

Porém, a contratação de um seguro viagem internacional executivo com cobertura mínima no valor de 30 mil euros, desde assistência médica até a funerária, é obrigatória nesses países.

A Inglaterra não faz parte do tratado, porém a França, Bélgica, Luxemburgo, Itália e Portugal, por exemplo, integram o acordo e fazem a exigência da cobertura mínima de 30 mil euros.

Sendo assim, em alguns casos talvez serão exigidas umas condições além das básicas de seguro, para que o funcionário possa entrar no país. Então, ao propor uma seguro viagem internacional executivo peça ao consultor que explique detalhadamente os termos legais que cada destino solicita.

Se a empresa precisa viajar com certa urgência, ela deverá consultar as condições no consulado do país de destino.

Todas as condições do Tratado Schegen buscam facilitar a assistência médica e emergentes para o turista, sem que ele precisa passar por toda aquela burocracia. Além de visar a proteção dos direitos do cidadão europeu nos serviços públicos e facilitar a sua transição de um país ao outro.

Na América Central, para realizar uma viagem executiva para Cuba, o valor mínimo do seguro viagem é de 10 mil dólares para despesas médicas. Já na Venezuela, o valor é de 40 mil dólares, além de atendimento médico, deve incluir repatriação médica e funerária.

Na Oceania, precisamente Austrália, há a exigência do seguro, mas não precisa ter necessariamente um valor estipulado.

Nos Estados Unidos da América, não é necessário ter algum tipo de seguro, mas é bom lembrar que o atendimento médico no país é muito caro e pode criar certos conflitos com a burocracia de viagens da empresa.

Considerações finais

Logo, o crescimento constante dos seguros de viagem, influenciam cada vez mais que novas empresas apliquem segurança nas suas viagens executivas e inspire outras empresas desprotegidas e antiquadas à adotarem esse método essencial para uma viagem tranquila.

Portanto, com a demanda de seguro viagem internacional executivo aumentando, várias empresas estão facilitando os seus processos de viagem mantendo seus funcionários seguros. Até mesmo as empresas de pequeno porte estão aderindo ao meio mais seguro e ético.

seguro viagem internacional executivo

 

Sobre lucas

Veja Também

5 dicas para comprar um seguro viagem Europa

  Você sabia que é obrigatório comprar um seguro viagem Europa ao viajar para a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *